A luta indígena como exemplo contra o novo golpe

Como outros golpes, este golpe é uma grande reforma autoritária das leis. Como tantos outros, ele não ataca apenas os direitos indígenas, se impõe contra os interesses da maioria. E a maioria segue talvez distraída demais para se defender.

Índios manifestam na Esplanada dos Ministérios
Data: 11/11/2015 – Foto: Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados

Todos os partidos políticos, oposição e situação, parlamentares da direita e da esquerda, estão prostituídos, conspiraram a serviço de governos estrangeiros e multinacionais. O governo brasileiro, hoje como nunca, não passa de um fantoche dessas forças quase ocultas.

As metas deste golpe são destruir legalmente os direitos da maioria (e também das minorias indígenas) até submetê-las à situações de escravidão, como nas megafábricas chinesas, ou ao extermínio; legalizar a pilhagem de recursos e extensões de terra para grupos estrangeiros e multinacionais; garantir a continuidade dos grandes  privilégios de grupos políticos e empresariais.

Por valorizar e proteger seus territórios, por seus saberes ancestrais e práticas de autonomia, indígenas são contrários ao projeto golpista. Também são eles que oferecem à maioria, grandes exemplos de coragem na luta contra os golpes e tiranos: Sepé Tiarajú, Gerônimo, Búfalo Negro, Lucy Gonzales Parsons, Leonard Peltier, Emiliano Zapata, Tuíra Kaiapó e Marçal Tupã-i são só alguns dos indígenas lutadores a serem lembrados  como grandes exemplos de luta, não só por uma vida livre e digna, mas pela própria sobrevivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *