Índios Gamela são atacados em Viana (MA)

Por CLAPA

No final da tarde deste Domingo (30) um grupo Gamela foi atacado na região do Povoado das Bahias, interior do município de Viana (MA). Ao menos 13 indígenas foram feridos por golpes de facas, paus e armas de fogo.

Os Gamela decidiram se retirar de uma área recentemente ocupada no Povoado das Bahias prevendo a possível violência por parte dos Grileiros-Fazendeiros e enquanto saíam foram atacados por dezenas de homens, entre eles fazendeiros e capangas armados, além disso, segundo os Gamela, a Policia Militar já estava no local quando começaram os ataques e não interveio.

Na foto, estrada que leva à retomada atacada. Ao fundo, um carro de polícia junto ao grupo de fazendeiros e capangas antes da ação violenta. Fonte: CIMI.

 

Segundo o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), as informações garantidas até agora sobre o massacre contabilizam cinco indígenas baleados, além disso outros dois tiveram as mãos decepadas. Até o momento não há confirmação de mortes.

Fonte: CIMI.

 

Reação às retomadas

Na sexta-feira (28) um grupo Gamela fez a retomada de uma área adjacente a Aldeia Cajueiro Piraí que fica localizada no território tradicional reivindicado pelos indígenas. Além disso os Gamela trancaram uma rodovia em apoio á greve geral e ao Acampamento Terra Livre.

Foto da área retomada na sexta-feira (28). Fonte: CIMI.

A reação por parte dos fazendeiros foi imediata.  Um texto passou a circular em diversos grupos de Whatsapp de Viana e comunidades próximas convocando os moradores locais a se unirem ao aparato repressor dos ruralistas: “Comunicado, venho através deste comunicar a sociedade de Matinha que ainda pouco tivemos uma reunião no Santero, que foi tratado a questões dos que se intitulam (indios) que na verdade são bando de ladrões, invasores de propriedades alheias, eles estão metendo terror na comunidade de são Miguel próximo ao santeiro, são Pedro ,estrada de Penalva e chulanga estão cortando arame, ameacando os moradores matando porco, galinha e gado e comendo. estão querendo realmente se apropriar de todas as propriedades ente itaquaritiua a Matinha ,Santero são Miguel e outras. e agora não só as grandes, as menores também, dizendo que vão invadir meter o panico. Diante isso tamos também nus organizando, unindo forças pra enfrentar esses ladrões, no dia 30 deste mês 14:00 horas terá outra reunião pra tratarmos desse assunto ,quem tiver interesse compareça lá, vamos nus unirmos pra defender o que eh de direito seu, hoje somos nois ,amanhã poderá se vc, não estamos livres desses bando de ladrões que se intitulam ( índios) compareça e divulgue a reunião acontecerá dia 30 deste mês no Santero as 14:00 horas (SIC)”.  

Porém os Gamela afirmam que o ataque estava sendo premeditado independente da retomada pois há um grupo que se auto intitula “Movimento Pela Paz” que está incitando moradores do povoado Santeiro. Os fazendeiros também têm se revoltado com o movimento de “corta de arame”  que os Gamela realizam por todo o território tradicional

Mídia local apoia os fazendeiros

Ouça na íntegra a entrevista com o Deputado Federal Aluísio Guimarães (PTN/MA), membro da bancada da bala no congresso e um dos incitadores do ataque, também participaram da entrevista outras lideranças que se posicionam contra as retomadas dos Gamela em seu território tradicional e a favor das ações genocidas dos fazendeiros e seus capangas.

 

Ataques ao Povo Gamela

Devido a ineficácia do órgão competente nos processos de identificação e demarcação de território (FUNAI) os Gamelas decidiram retomar por si suas áreas tradicionais que estavam sendo griladas e tomadas por fazendeiros. Em 2015 um ataque a tiros que não resultou em feridos foi empreendido contra uma destas áreas de retomada e em agosto de 2016 homens armados e em um carro de uma empresa de segurança invadiram outra área de retomada dos Gamela e foram expulsos pelos indígenas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *